top of page

Alimentos que podem prevenir a formação e rotura do aneurisma cerebral



O aneurisma cerebral é a dilatação de uma artéria cerebral, que adquire aspecto de uma bexiga de paredes finas e completamente preenchida com sangue. A grande preocupação é a possibilidade de rotura deste aneurisma, o que resultaria em hemorragia e sintomas como dor de cabeça, náuseas, vômitos, enrijecimento da nuca e convulsões. Em praticamente 40% dos casos de rotura do aneurisma, o quadro é fatal e a pessoa não sobrevive.


A incidência do aneurisma cerebral está relacionada aos fatores genéticos, hipertensão arterial, diabetes e também alguns hábitos como tabagismo, etilismo e uso de drogas. A formação de um aneurisma cerebral é resultado do enfraquecimento das artérias cerebrais, devido ao acúmulo de moléculas inflamatórias e aumento da tensão na estrutura destas artérias. Este processo inflamatório é exacerbado quando os níveis de pressão arterial estão elevados e em associação com o tabagismo, sendo este considerado um fator de risco independente para formação e rotura do aneurisma.


Para combater este processo inflamatório, são utilizados medicamentos como aspirina e antiinflamatórios como corticoide. No entanto, deve-se ter em mente que existem alimentos com alto potencial antioxidante e antiinflamatório e que poderiam ser melhor aproveitados nesta circunstância. A realidade é que pouco tem sido divulgado sobre o papel da alimentação em prevenir tanto a formação como a rotura do aneurisma cerebral.


O consumo de muitos componentes como carotenoides, vitamina C, vitamina E e flavonoides está associado com a redução de eventos cardiovasculares, como o derrame cerebral. Sabe-se que as taxas de hemorragia por rotura de aneurisma cerebral é maior em mulheres e, nesta população, o consumo de alimentos antiinflamatórios e antioxidantes pode reduzir em até 27% o risco de hemorragia cerebral. A utilização da curcumina, presente no açafrão, e do chá verde também pode ser fundamental na eliminação das moléculas inflamatórias existentes na parede das artérias cerebrais, favorecendo o enfraquecimento das mesmas.


A homocisteina é uma substância produzida pelo nosso organismo e, quando em níveis elevados no sangue, indica aumento de pelo menos 60% no risco de doenças cardiovasculares. Para se ter ideia dos benéficios de estabilizar os níveis sanguíneos da homocisteina, estudos populacionais demonstram redução de trombose venosa profunda na ordem de 25%, derrame cerebral na ordem de 24% e infarto do coração na ordem de 16%. Outro ponto que chama atenção é que os níveis sanguíneos de homocisteina estão significativamente mais elevados em pessoas com histórico de hemorragia cerebral por rotura de aneurisma.


A elevação dos níveis sanguíneos de homocisteina pode ser resultado da deficiência de vitaminas, como ácido fólico(vitamina B9), vitamina B6(piridoxina) e vitamina B12. Desta forma, muitos estudos defendem a suplementação destes nutrientes ou também uma dieta rica em alimentos que forneçam estes nutrientes. Grãos, peixes, verduras escuras e ovo são importantes fontes destes elementos.


A elevada ingestão de cafeína e o baixo consumo de ômega-3 podem ser determinantes para formação e rotura fatal do aneurisma cerebral. Pesquisas mostram que a ingestão de mais de 5 xícaras de café puro ao dia pode estar associada com maiores taxas de hemorragia cerebral. Por outro lado, o baixo consumo de alimentos ricos em ômega-3 acarretaria uma deficiência na proteção anti-inflamatória das nossas artérias, especialmente artérias do coração e cérebro.


Esta informação reacende a discussão acerca dos benefícios da dieta Mediterrânea para nossa saúde cardiovascular e cerebral, pois prioriza maior consumo de azeite, peixes, frutas e grãos.

O aneurisma cerebral é uma doença que pode ser silenciosa e, mesmo assim, ser fatal em quase metades das pessoas acometidas. Considerando que hipertensão e diabetes são fatores de risco para formação do aneurisma cerebral e estes fatores podem ser melhor controlados por meio de alimentos e nutrientes com alto poder anti-inflamatório, por que não explorar melhor estes recursos? Além disso, o uso contínuo de medicamentos como corticoide e aspirina pode ser complicado no que tange aos efeitos colaterais em curto e médio prazo.


Cientificamente falando, temos vários nutrientes com poder antioxidante e redução da inflamação nas artérias cerebrais. Vamos pensar mais nesta questão, buscar orientação especializada sobre o uso judicioso destes alimentos e prevenir a formação e rotura do aneurisma cerebral. As mulheres precisam ficar muito atentas, pois nelas a ocorrência de hemorragia cerebral por rotura do aneurisma cerebral é mais expressiva .

24 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page